Rip Curl Pro Playa Grande abre o QS 1500 masculino e o QS 1000 feminino na Argentina

Rip Curl Pro Playa Grande abre o QS 1500 masculino e o QS 1000 feminino na Argentina

Os brasileiros Samuel Pupo e Camila Cassia e a argentina Lucia Indurain se destacaram com os recordes da sexta-feira nas ondas de Biologia e as eliminatórias continuam no sábado em Mar del Plata

Rip Curl Pro Playa Grande (Foto: Mariano Antúnez)

Depois de quatro dias de espera pelas ondas, elas finalmente chegaram na sexta-feira para iniciar o Rip Curl Pro Playa Grande que vinha sendo adiado desde terça-feira na Argentina. Os 82 surfistas de nove países estrearam no primeiro dia do QS 1500 masculino e do QS 1000 feminino. Os brasileiros venceram a maioria das baterias e Samuel Pupo fez os recordes do dia, nota 8,50 e 14,25 pontos. Entre as meninas, a argentina Lucia Indurain ganhou a maior nota, 7,50, e a brasileira Camila Cassia fez o maior placar, 13,70 pontos. As eliminatórias prosseguem neste sábado a partir das 7h40 e os títulos serão decididos no domingo em Mar del Plata.

Thiago Camarão (BRA) (Foto: Mariano Antúnez)

A sétima edição do Rip Curl Pro Playa Grande começou pelo QS 1500 masculino na sexta-feira e com o campeão de 2017, Thiago Camarão, acertando um belo aéreo numa onda que valeu nota 7,00 logo na primeira bateria do dia em Biologia. Eram três brasileiros disputando duas vagas para a segunda fase e Alax Soares já tinha conseguido a mesma nota 7,00 em um aéreo no início. Mas, Camarão somou o 5,25 da sua primeira onda para vencer por 12,25 pontos.

Este placar foi superado por mais quatro brasileiros nas outras quinze baterias da rodada inicial, em que foram divididos os 59 competidores inscritos de seis países. O primeiro foi o catarinense Matheus Navarro, que atingiu 13,55 pontos na sexta bateria. Depois, todos os recordes foram batidos na melhor hora do mar em Biologia na sexta-feira. O potiguar Mateus Sena também usou os aéreos para aumentar a maior nota para 7,50 e o placar para 13,40 pontos.

Leandro Usuna (ARG) (Foto: Mariano Antúnez)

MELHOR BATERIA – A disputa seguinte foi a melhor do dia e dois paulistas comandaram o show de aéreos e grandes manobras nas ondas da Playa Grande. Samuel Pupo foi o recordista absoluto do dia, acertando um full rotation incrível numa onda que valeu nota 8,50. O atual campeão sul-americano Pro Junior da WSL South America somou ela com o 5,75 da primeira onda para atingir imbatíveis 14,25 pontos. Na mesma bateria Luciano Brulher também surfou bem para fazer a segunda maior somatória da primeira fase, 13,50 com notas 7,25 e 6,25.

Facundo Arreyes (ARG) (Foto: Mariano Antúnez)

Os brasileiros já eram maioria com 34 surfistas entre os 59 inscritos no QS 1500 da Argentina e dezenove passaram para a segunda fase, ganhando onze das dezesseis baterias na sexta-feira. Duas foram vencidas pelos argentinos Leandro Usuna e Facundo Arreyes, vice-campeão na final do ano passado com o brasileiro Wesley Santos. Duas pelos peruanos Lucca Mesinas e Jhonny Guerrero e a outra pelo chileno Roberto Araki. Também passaram para a rodada dos 32 que seguem na disputa do título do Rip Curl Pro Playa Grande, junto com os dezenove brasileiros, oito argentinos, os três únicos participantes do Peru e dois chilenos.

QS 1000 FEMININO – O Brasil segue firme para tentar manter a hegemonia de títulos verde-amarelos em Mar del Plata, assim como a equatoriana Dominic Barona, que venceu as duas únicas edições da etapa argentina com QS feminino, em 2017 e em 2018, quando conquistou seu segundo título sul-americano da WSL South America. Mimi Barona começou a busca pelo tri com vitória na primeira bateria por 12,75 pontos e a brasileira Julia Duarte passou em segundo lugar, superando a argentina Catalina Mercere por 10,75 a 6,40.

Lucca Mesinas (PER) (Foto: Mariano Antúnez)

Na bateria seguinte, Lucia Indurain já aumentou a maior nota da equatoriana de 6,50 para 7,50 na dobradinha argentina com Lucia Cosoleto, sobre a brasileira Bruna Carderelli. Já os 12,75 pontos da bicampeã do Rip Curl Pro Playa Grande só foram superados no fim do dia, por duas brasileiras. A paulista Camila Cassia fez o recorde de pontos com os 13,40 das notas 7,00 e 6,40 das suas melhores ondas. Depois, a catarinense de apenas 15 anos, Taina Hinckel, também somou uma nota 7,00 para vencer por 13,00 pontos a bateria que fechou a primeira fase.

As dezesseis classificadas na sexta-feira foram divididas em quatro baterias na segunda fase, valendo duas vagas em cada para as quartas de final do Rip Curl Pro Playa Grande. São sete brasileiras, quatro argentinas, duas chilenas, uma peruana, uma norte-americana e uma equatoriana, a defensora do título, Dominic Barona. Ela está novamente na primeira bateria, com a argentina Lucia Cosoleto, a brasileira Karol Ribeiro e a americana Kaleigh Gilchrist.

Acompanhem o Rip Curl Pro Playa Grande ao vivo da Argentina pelo www.worldsurfleague.com a partir das 8h00 desde sábado até as decisões dos títulos no Domingo de Páscoa


Divulgação por: João Carvalho WSL South America Media Manager

www.worldsurfleague.com

 

(Visited 17 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.