Cinco brasileiros já estão entre os 24 finalistas do US Open

Cinco brasileiros já estão entre os 24 finalistas do US Open

Alex Ribeiro foi o primeiro a se classificar na segunda-feira, depois Peterson Crisanto e Krystian Kymerson passaram juntos e Michael Rodrigues e Yago Dora avançaram nas últimas do dia

Michael Rodrigues (CE) (Kenny Morris / WSL via Getty Images)
Michael Rodrigues (CE) (Kenny Morris / WSL via Getty Images)

Cinco brasileiros já estão entre os 24 surfistas que vão disputar classificação para as oitavas de final do tradicional Vans US Open of Surfing em Huntington Beach, na Califórnia, Estados Unidos. O paulista Alex Ribeiro foi o primeiro a avançar nas cinco baterias da terceira fase que fecharam a segunda-feira e outros dez ainda vão disputar vagas nas que ficaram para abrir a terça-feira do segundo QS 10000 do ano no WSL Qualifying Series. O paranaense Peterson Crisanto e o capixaba Krystian Kymerson passaram juntos na mesma bateria, o cearense Michael Rodrigues venceu a seguinte e o catarinense Yago Dora se classificou na última do dia.

Yago Dora (SC) (Kenny Morris / WSL via Getty Images)
Yago Dora (SC) (Kenny Morris / WSL via Getty Images)

O US Open of Surfing está promovendo o primeiro evento combinado com status máximo QS 10000 para homens e mulheres na história do WSL Qualifying Series. O masculino começou no domingo e uma verdadeira maratona de 37 baterias foram disputadas nos dois primeiros dias, para aproveitar as boas condições das ondas do início da semana em Huntington Beach. Na segunda-feira, a competição prosseguiu até a quinta bateria da terceira fase, iniciada com um terço de brasileiros entre os 48 classificados, dezesseis no total.

Muitos se destacaram durante o dia, como o paulista Thiago Camarão, que carimbou a faixa do atual bicampeão do US Open, na primeira defesa do título do japonês Kanoa Igarashi na segunda-feira. Mas, ele passou em segundo nessa e vai competir na única bateria sem brasileiros, entre as sete que restaram para fechar a terceira fase. Camarão entra no confronto anterior ao dele com mais dois paulistas, Miguel Pupo e Weslley Dantas, e o australiano Liam O´Brien também brigando por uma das duas vagas.

“É muito bom começar bem um campeonato e essa foi a primeira vez que eu consegui vencer o Kanoa (Igarashi), que é um surfista muito bom”, disse Thiago Camarão. “Estou feliz por surfar bem, mas também tive que usar a inteligência nessa bateria, que para mim foi o mais importante. Eu tenho surfado aqui todos os dias, usando pranchas menores que são melhores para essas ondas e estou muito feliz por ter dado tudo certo na bateria. Espero que continue assim nas próximas”.

Miguel Pupo (SP) (Kenny Morris / WSL via Getty Images)
Miguel Pupo (SP) (Kenny Morris / WSL via Getty Images)

A bateria com participação tripla do Brasil do Thiago Camarão com Miguel Pupo e Weslley Dantas não será a única dos confrontos que restaram da terceira fase. A deles é a sétima, a segunda a entrar no mar na terça-feira, depois de Caio Ibelli abrir o dia contra o número 1 do mundo, o líder do CT, Kolohe Andino, o australiano Kalani Ball e Joshua Burke, de Barbados. Na décima, serão dois tops da elite da World Surf League, o campeão mundial Adriano de Souza e Willian Cardoso, com o pernambucano Luel Felipe e o australiano Reef Heazlewood.

Antes, na nona, o campeão do primeiro QS 10000 do ano na África do Sul, o paulista Deivid Silva, enfrenta Matt Wilkinson que barrou o líder do ranking do WSL Qualifying Series, Jadson André, na estreia do potiguar no US Open of Surfing, o também australiano Morgan Cibilic e o havaiano Barron Mamiya. Além dele, dois catarinenses vão disputar as últimas vagas com surfistas de outros países. Tomas Hermes entra na penúltima bateria com o americano Griffin Colapinto, o francês Joan Duru e o australiano Jordan Lawler. E o jovem Mateus Herdy fecha a terceira fase contra dois norte-americanos, Conner Coffin e Jake Marshall, e o sul-africano Dylan Lightfoot.

VAGAS NAS OITAVAS – Entre os cinco que já passaram para a rodada classificatória para as oitavas de final, todos enfrentaram outros brasileiros em suas baterias nas ondas do famoso píer de Huntington Beach. O paranaense Peterson Crisanto e o capixaba Krystian Kymerson avançaram só em dobradinhas verde-amarelas. Peterson estreou com vitória na completada pelo pernambucano Ian Gouveia e Krystian começou passando junto com o cearense Michael Rodrigues. Na terceira fase, Peterson e Krystian se encontraram para despachar o americano Nat Young e uma das novidades da Austrália na elite do CT esse ano, Soli Bailey.

Michael Rodrigues entrou na bateria seguinte com Ian Gouveia e venceu de novo, mas o pernambucano que defendia a décima posição no G-10 do QS, ficou em último. O francês Jorgann Couzinet, vice-líder do ranking, ganhou a segunda vaga para a quarta fase. Um dos adversários do principal concorrente para tirar o primeiro lugar do potiguar Jadson André na briga por duas vagas para as oitavas de final, será o catarinense Yago Dora. As primeiras serão disputadas por Krystian Kymerson, o havaiano Seth Moniz do CT e o francês Charles Martin.

Peterson Crisanto (PR) (Jenny Herron / WSL via Getty Images)
Peterson Crisanto (PR) (Jenny Herron / WSL via Getty Images)

Peterson Crisanto agora terá a companhia do paulista Alex Ribeiro, um dos quatro brasileiros que estão no grupo dos dez surfistas do WSL Qualifying Series que sobem para a divisão de elite da World Surf League. Eles estão na segunda bateria, completada pelo australiano Connor O´Leary. Alex Ribeiro foi o primeiro a se classificar, despachando um adversário direto por vaga no G-10, Jack Robinson, além do também australiano Nicholas Squiers, no confronto vencido pelo francês Charles Martin. Alex tinha estreado com vitória na bateria em que outro brasileiro, o carioca Jeronimo Vargas, foi eliminado junto com o português Frederico Morais.

MAIS SUL-AMERICANOS – Além dos brasileiros, surfistas do Peru, Chile e Uruguai, também representaram a América do Sul no maior palco do surfe norte-americano, mas não passaram nenhuma bateria. O uruguaio Marco Giorgi, o chileno Manuel Selman e o peruano Tomas Tudela, ficaram na primeira fase. O irmão do Tomas, Miguel Tudela, que estava bem mais próximo da zona de classificação para o CT, em 18.o lugar no ranking, entrou direto na segunda fase, mas também perdeu de cara na bateria vencida por Willian Cardoso.

O QS 10000 Vans US Open of Surfing está sendo transmitido ao vivo de Huntington Beach pelo www.worldsurfleague.com e pelo Facebook Live e pelo aplicativo da World Surf League. Depois de dois dias só de competição masculina, o primeiro QS 10000 feminino da história deve ser iniciado nesta terça-feira, após o encerramento da terceira fase dos homens.


Créditos fotográficos: Jenny Herron e Kenny Morris


Divulgação por: João Carvalho WSL South America Media Manager

www.worldsurfleague.com

(Visited 16 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.